Cadastro geral de
faixas pretas da
Liga Nacional de Judô

Graduados Novo cadastro Atualizar cadastro

CODIGO DE PROMOÇÕES DA COMISSÃO NACIONAL DE GRAUS

 

PREÂMBULO

 

As diferentes graduações no judô traduzem o acumular de conhecimentos que o praticante vai progressivamente adquirindo ao longo da sua carreira desportiva. Os valores morais, a maestria técnica e a participação em competições são o objetivo normal do ensino e da dedicação ao estudo teórico e ao treino, sendo que a graduação simboliza os valores agregados ao espírito e ao corpo.

O componente desportivo é uma condição indispensável, em particular do 1º ao 3º dan, mas que não basta a si próprio. Espera-se também a atuação na transmissão do conhecimento adquirido aos que vem depois, especialmente a partir do 4º dan. Outros valores essenciais devem sempre ser considerados, tal como um comportamento irrepreensível enquanto judoca e pessoa no cumprimento do código moral do judô.

Para os intervalos de tempo impostos para ascender à graduação seguinte, são considerados os tempos mínimos de maturação indispensáveis que devem ser efetivamente consagrados ao treino e que permitem a progressão no estudo e aprendizagem do judô - um ano de prática equivale ao menos a 100 treinos de judô.

Sem essa aplicação prática, sem a convivência constante com o tatame, dificilmente o judoca conseguirá evoluir em seu conhecimento do caminho. Como tampouco terá atingido a evolução necessária sem haver atuado nas demais áreas essenciais ao desenvolvimento do judô, como a arbitragem e a administração do esporte.

A reestruturação social através do esporte e as ações comunitárias envolvendo o judô, talvez sejam a grande contribuição que possamos oferecer ao crescimento de nossa sociedade, educando a mente e o corpo de nossa crianças e adolescentes, elevando todos à condição plena de cidadãos.

Esses são os predicados cultivados e incentivados pela Liga Nacional de Judô às pessoas que escolhem trilhar o fascinante caminho do judô e que ao longo de sua vida contribuem para a evolução e crescimento de nossa arte de acordo com o legado de Jigoro Kano Shihan.

 

O respeito por aquilo que fazemos constitui a primeira condição e a garantia do valor dos nossos atos.

 

Comissão Nacional de Graus

Liga Nacional de Judô

 
CAPITULO I - DAS PESSOAS

 
ART. 1º - LIGA NACIONAL DE JUDÔ

A Liga Nacional de Judô (LNJ) é, dentro do Sistema Nacional de Ligas, a entidade administrativa máxima do judô no Brasil.


ART. 2º - COMISSÃO NACIONAL DE GRAUS

A Comissão Nacional de Graus (CNG), no âmbito de atuação da LNJ, é a autoridade máxima nacional para assuntos da técnica do judô e para sua avaliação, de acordo com seu regimento.


ART. 3º - LIGAS ESTADUAIS

As Ligas Estaduais são as entidades administrativas do judô em seus respectivos estados da União que por livre associação se vinculem à LNJ e mantenham para com esta as obrigações pactuadas.


ART. 4º - COMISSÕES ESTADUAIS DE GRAUS

As Comissões Estaduais de Graus (CEG), no âmbito de atuação de suas respectivas Ligas Estaduais, são as autoridades máximas para assuntos da técnica do judô e para sua avaliação, de acordo com seu regimento e estatuto de suas Ligas.


ART. 5º - CANDIDATO

Candidato é todo o judoca que ingresse regularmente em processo de avaliação de seu conhecimento judoístico perante a CNG através da Liga Estadual a que estiver filiado com o intuito de promoção à graduação imediatamente superior à sua.


 

CAPÍTULO II - DAS COMPETÊNCIAS

 

ART. 6º - PROMOÇÃO PARA ROKU-DAN E GRAUS SUPERIORES

É reservada exclusivamente à Liga Nacional de Judô, nos termos do Estatuto da LNJ e deste “Código de Promoções da Comissão Nacional de Graus da Liga Nacional de Judô”, a competência para promoção a roku-dan (6º grau de faixa preta) e graus posteriores dentro do Sistema Nacional de Ligas.


ART. 7º - PROMOÇÃO PARA SHO-DAN ATÉ GO-DAN

No âmbito territorial dos respectivos estados da União, no Sistema Nacional de Ligas, é competência privativa da Comissão Estadual de Graus das Ligas Estaduais a promoção para sho-dan (1º grau de faixa preta) e graus posteriores, respeitado os termos do Estatuto da LNJ e o Regimento Interno da Comissão Nacional de Graus.


 

CAPÍTULO III - DO PROCESSO DE GRADUAÇÃO

 
ART. 8º - PROMOÇÃO PARA ROKU-DAN E GRAUS SUPERIORES

As promoções deste artigo serão levadas a efeito através da análise do currículo do candidato pela CNG.

I — O currículo  deverá ser apresentado  no site da LNJ  no Cadastro Geral de Faixas Pretas da Liga Nacional de Judô pelo próprio candidato.

II — O currículo do candidato deverá obrigatoriamente ter o aval da Liga Estadual a que estiver filiado, e acompanhado de fotocópias dos devidos documentos comprobatórios solicitados no site.


 

ART. 9º - PROMOÇÃO PARA SHO-DAN ATÉ GO-DAN

É de competência das Ligas Estaduais a promoção de sho-dan a go Dan desde que estas ligas satisfaçam  as exigências estatutárias e dos regulamentos emanados pela CNG decididos em Assembleia Geral dos Filiados obedecendo os termos dos parágrafos contidos neste artigo . As promoções deste artigo serão levadas a efeito nos termos determinados pelas Comissões Estaduais de Graus. Estas promoções  somente  poderão ser registradas na Ligas Nacional de Judô,  mediante solicitação da Liga Estadual, respeitado o disposto neste código, no Estatuto da LNJ e Regimento Interno da Comissão Nacional de Graus.

§1º - As promoções para graduações acima de shodan, somente poderão ser realizadas pela Liga Estadual após  oficializar  a Liga Nacional de Judô a composição da Comissão Estadual de Graus, fornecendo as copias dos certificados dos Componentes, atestando sua competência para a realização dos exames.

§2º - Nas promoções para go-dan (5º grau de faixa preta), a Liga Estadual deverá oficiar a Liga Nacional de Judô para que se faça o registro da promoção do candidato e emissão de certificado correspondente. Somente poderão requerer a promoção a 6º grau os candidatos que estiverem registrados na Liga Nacional de Judô como 5º grau a pelo menos três anos.

§3º - Somente passará a ser contada a carência para promoções a roku-dan a partir da emissão do certificado da graduação anterior pela LNJ nos temos deste artigo.

§4º - Candidatos de outras entidades que irão apresentar seu currículo a CNG para promoção deverão estar registrados na Liga Nacional de Judô.


 

CAPÍTULO IV - DOS CRITÉRIOS E CARÊNCIAS

 

ART. 10 - PROMOÇÃO PARA ROKU-DAN E GRAUS POSTERIORES

Para ser considerado para a promoção de graduação o candidato deverá cumprir com os seguintes requisitos de carência na graduação anterior, além das demais determinações deste código:


 

PARA

CARÊNCIA MÍNIMA

PROMOÇÃO

ROKU-DAN (6º GRAU)

6 ANOS

NANA-DAN (7º GRAU)

7 ANOS

HACHI-DAN (8º GRAU)

8 ANOS

KYU-DAN (9º GRAU)

9 ANOS

JU-DAN (10º GRAU)

10 ANOS

 

§1º — não serão consideradas solicitações a promoção que não observem a carência mínima na graduação anterior.

§2º — somente será considerado para fins de carência o período de plena atividade do candidato.

§3º — o candidato deve estar regularmente filiado há no mínimo a três anos consecutivos à LNJ para solicitar promoção.

§4º — para promoção a roku-dan (6º grau de faixa preta) deve haver transcorrido o período mínimo de vinte anos desde a promoção do candidato à sho-dan.

 

 


CAPÍTULO V - DISPOSIÇÕES FINAIS

 

ART. 11 - CASOS OMISSOS

Os casos omissos ou dúvidas serão regulados pela CNG da LNJ, depois de ouvida, quando necessário, a Presidência da LNJ, tendo sempre em consideração a letra e o espírito deste código.

 

ART. 12 - ENTRADA EM VIGOR

Este Código de Promoções da Comissão Nacional de Graus da Liga Nacional de Judô, revoga toda e qualquer disposição em contrário e entra em vigor no dia de sua publicação no site oficial da LNJ.

 

 

Comissão Nacional de Graus da LNJ